Blog

Saúde Mental

...

13/01/2021 - Por: Toyota Tsusho Corretora de Seguros

Saúde Mental

Saúde Mental 
A saúde mental é um componente integral e essencial da saúde.Segundo definição de saúde da Organização Mundial de Saúde: "Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não meramente a ausência de doença ou enfermidade."Uma consequência importante dessa definição é que a saúde mental é mais do que apenas a ausência de transtornos mentais ou deficiências.A saúde mental é um estado de bem-estar no qual um indivíduo percebe suas próprias habilidades, pode lidar com as tensões normais da vida, pode trabalhar de forma produtiva e é capaz de dar uma contribuição para sua comunidade. A saúde mental é fundamental para nossa habilidade coletiva e individual, como humanos, de pensar, se emocionar, interagir uns com os outros, ganhar a vida e aproveitar a vida. Com base nisso, a promoção, proteção e restauração da saúde mental podem ser consideradas como uma preocupação vital de indivíduos, comunidades e sociedades em todo o mundo. Vários fatores sociais, psicológicos e biológicos determinam o nível de saúde mental de uma pessoa durante sua vida. Por exemplo, a violência e as pressões socioeconômicas persistentes são riscos reconhecidos para a saúde mental. A má saúde mental também está associada a rápidas mudanças sociais, condições estressantes de trabalho, discriminação de gênero, exclusão social, estilo de vida pouco saudável, problemas de saúde física e violações dos direitos humanos. Existem fatores psicológicos e de personalidade específicos que tornam as pessoas vulneráveis a problemas de saúde mental. Os riscos biológicos incluem fatores genéticos. Portanto é possível perceber que uma gama importante de fatores afeta a saúde mental de uma pessoa, às vezes, mais de um fator concorre para a piora da saúde mental. Convém ressaltar novamente que nem sempre a saúde mental é afetada exclusivamente por fatores psicológicos e biológicos. Nesse sentido que a gestão integral da saúde é importante, ao levar em conta todos os aspectos que podem refletir na saúde do indivíduo conforme definição da OMS.
Promoção e proteção da saúde mentalA promoção da saúde mental envolve ações que melhoram o bem-estar psicológico. Isso pode envolver a criação de um ambiente que apoie a saúde mental. Um ambiente que respeite e proteja os direitos civis, políticos, socioeconômicos e culturais básicos é fundamental para a saúde mental. Sem a segurança e a liberdade proporcionadas por esses direitos, é difícil manter um alto nível de saúde mental. Dentro desse contexto se insere um ambiente de trabalho saudável onde outros aspectos além dos relacionados a produtividade são levados em consideração. O ambiente deve ser acolhedor e ter como objetivo principal a atenção integral a saúde do profissional assim como seus familiares. Assim é importante ações de saúde na empresa. Ações estrategicamente desenhadas, com conhecimento técnico de primeira qualidade, coordenadas e com acompanhamento contínuo. Caso não tenham essa qualidade no seu desenho se mostram pouco eficazes e redundam em muitas vezes em simples programas de atenção a saúde sem efetivamente melhorar o bem estar do profissional e seus familiares que muitas vezes custam dinheiro e tempo as organizações sem resultado palpável. E comum observamos pacientes com elevado número de consultas em diferentes tipos de profissionais de saúde (médicos ou não) que procuram por um diagnóstico biológico (físico) quando o problema pode ser primeiramente psicológico ou ainda de causa mal definida. Caso esse paciente não tenha um atendimento integral em que todos os aspectos de sua vida sejam analisados dificilmente poderá ter seu problema minimizado. Um problema físico mal diagnosticado pode levar a uma deterioração da saúde mental com aumentos de problemas familiares num ciclo contínuo que gera uma grande deterioração da condição do paciente. Certamente com impactos em produtividade.
Maneiras específicas de promover a saúde mental incluem:01 - intervenções na primeira infância (por exemplo, proporcionando um ambiente estável que é sensível às necessidades nutricionais e de saúde das crianças, com proteção contra ameaças, oportunidades de aprendizagem precoce e interações que são responsivas, emocionalmente favoráveis e estimulantes do desenvolvimento); 02 - apoio a crianças (por exemplo, programas de habilidades para a vida, programas de desenvolvimento infantil e juvenil); 03 - empoderamento socioeconômico das mulheres (por exemplo, melhoria do acesso à educação e esquemas de microcrédito); 04 - apoio social para populações idosas (por exemplo, iniciativas de amizade, comunidade e centros de dia para idosos); 05 - programas direcionados a pessoas vulneráveis, incluindo minorias, povos indígenas, migrantes e pessoas afetadas por conflitos e desastres (por exemplo, intervenções psicossociais após desastres); 06 - intervenções de saúde mental no trabalho (por exemplo, programas de prevenção do estresse); 07 - Programas de prevenção da violência (por exemplo, redução da disponibilidade de álcool e acesso a armas); 08 – programas bem estruturados de saúde coletiva na empresa( por exemplo programas de redução de problemas de saúde como obesidade, hipertensão, dores articulares e musculares, programas de relacionamento com os familiares dos colaboradores, redução de acidentes de trajeto e assistência a saúde do trabalhador); 09 – estimular o autocuidado e a auto responsabilização pela própria saúde. É importante que as pessoas cada vez mais sejam conscientizadas que a saúde é um bem que lhe é próprio e que precisa de acompanhamento contínuo. Assim a melhor forma de fazê-lo é empoderando o próprio paciente e atribuindo a ele a responsabilidade pela própria saúde.Isso é feito de forma a que ele entenda que deve buscar os melhores profissionais de saúde, discutir com estes as opções diagnósticas e de tratamento não deixando exclusivamente ao profissional a definição do que deverá ser feito, estudar sua própria doença de forma responsável em meios de comunicação adequados ou pela busca de uma segunda opinião, perceber que nem sempre sua doença tem cura e que ele terá que conviver com a doença da melhor forma possível,  pensar em sua saúde como um projeto de longo prazo e dentro desse projeto dar real importância aos exercícios físicos, dieta saudável, atividades de lazer acompanhadas e prazerosas, evitar na medida do possível situações estressantes, evitar consumo de bebidas alcoólicas e drogas.Esses são passos iniciais que são de difícil implementação, mas que geram grandes frutos no longo prazo.
Cuidados e tratamento de saúde mentalDentro do contexto de saúde mental, mas mais no espectro das doenças psicológicas estabelecidas existem exemplos de intervenções que são viáveis e acessíveis incluem:01 - tratamento da depressão com tratamento psicológico e, para casos moderados a graves, medicamentos antidepressivos; 02 - tratamento da psicose com medicamentos antipsicóticos e apoio psicossocial; 03 - prevenção do suicídio, prevenção e tratamento de transtornos mentais em crianças, prevenção e tratamento de demência e tratamento de transtornos por uso de substâncias.
DepressãoA depressão é uma doença comum em todo o mundo, com mais de 264 milhões de pessoas afetadas. A depressão é diferente das flutuações de humor usuais e das respostas emocionais de curta duração aos desafios da vida cotidiana, trata-se de uma diferenciação importante, tanto para não diminuir a importância da doença como também para não superestimá-la em situações onde a pessoa tem uma resposta inadequada a situações normais impostas pelo desafio da vida. A diferença é mais bem estabelecida pelos profissionais de saúde. Principalmente quando de longa duração e intensidade moderada ou severa, a depressão pode se tornar um grave problema de saúde. Pode fazer com que a pessoa afetada sofra muito e funcione mal no trabalho, na escola e na família. Na pior das hipóteses, a depressão pode levar ao suicídio.Dependendo do número e da gravidade dos sintomas, um episódio depressivo pode ser classificado como leve, moderado ou grave.
Transtorno depressivo recorrente: esse transtorno envolve episódios depressivos repetidos. Durante esses episódios, a pessoa experimenta humor deprimido, perda de interesse e prazer e redução da energia, levando à diminuição da atividade por pelo menos duas semanas. Muitas pessoas com depressão também sofrem de sintomas de ansiedade, sono e apetite perturbados e podem ter sentimento de culpa ou baixa autoestima, falta de concentração e até mesmo sintomas que não podem ser explicados por um diagnóstico médico.O diagnóstico e o respectivo tratamento da depressão devem ser realizados por um profissional de saúde, assim em casos de dúvidas é importante procurar o médico para início da avaliação. Técnicas de aprimoramento de saúde mental. Como já indicamos a saúde mental depende também da saúde física, assim os exercícios físicos e dieta balanceada são muito importantes. Além disso outras técnicas tem demonstrado resultados bastante eficazes: 01 – Meditação – existem diferentes técnicas de meditação, mas todas tem um objetivo em comum – acalmar a mente dos pensamentos automáticos. Esses pensamentos automáticos são aqueles que temos sem perceber, mas que nos levam a passar por situações sem saber o que efetivamente fizemos, ou seja, vivemos automaticamente. Eles trazem em si o poder de criar suposições negativas (“eu não consigo fazer isso”) sem as vezes nem percebermos essa intenção negativa, mas com consequências reais – ansiedade, raiva, depressão. Outro problema atacado na meditação é a “ruminação” de pensamentos sobre o passado (o que ocorreu e que poderia ter sido diferente) e futuro (o que é preciso fazer e se é possível fazê-lo), fazendo com que não consigamos viver o presente – novamente o automatismo. As diferentes técnicas são fácies de entender, mas muito difíceis de seguir já que no início da meditação conseguimos começar a perceber essa miríade de pensamentos contínuos que nem sempre conseguimos observar, é difícil passar essa fase. Assim é preciso perseverança na prática, mais que no aprendizado. Também é importante indicar que, apesar de ser empregada em determinadas religiões, não é uma técnica que deva ser acompanhada de uma prática religiosa específica. Trabalhos científicos demonstram a efetividade da meditação na redução do estresse, depressão, controle da ansiedade, melhora da memoria e redução de vícios. 02- Outras práticas relacionadas: Yoga, Tai-Chi Essas práticas, especialmente a meditação, podem não ser fácies. Assim talvez seja benéfico que as pessoas as façam em grupos – de amigos e familiares em que a prática seja prazerosa e não uma obrigação – e que o grupo ou pessoa seja acompanhada inicialmente por um profissional habilitado pelo menos até que os benefícios sejam perceptíveis.     Fonte: Organização Mundial da Saúde

Compartilhar

ÚLTIMAS DO BLOG